Intercambistas Uniftec: Instituto Politécnico do Porto, Portugal – parte I


CRISTYAN_ENTRADA_ISEPO período de inscrições para o Programa de Intercâmbio Bolsa Santander segue até o dia 09/06/17 e é aberto para todos os estudantes das unidades do Grupo Uniftec. A instituição é parceira do programa desde 2014, oportunizando desde então o intercâmbio de 15 estudantes para diferentes países, como Chile, Portugal e Espanha.

O programa possibilita a escolha do destino entre nove países: Argentina, Uruguai, Chile, Colômbia, Peru, México, Porto Rico, Portugal e Espanha, para o período de permanência de um semestre letivo, de 4 a 6 meses, com bolsas de estudos no valor de 3.000,00 euros.

As informações completas sobre o Programa de Bolsas Santander estarão no edital, publicado na página de Relações Internacionais do Grupo Uniftec www.ftec.com.br/relacoesinternacionais. Mais informações podem ser obtidas via email internacional@ftec.com.br

 

Atualmente, cinco alunos do Grupo Uniftec estão em intercâmbio em Portugal e no Chile, através do Programa de Intercâmbio Bolsa Santander. Por intermédio do setor de Relações Internacionais, a assessoria de comunicação do Grupo Uniftec contatou com os estudantes, para compartilhar um pouco das experiências vivenciadas no exterior. Confira a seguir o primeiro depoimento da série Intercambistas Uniftec.

CRISTYAN_LIBRARY_ISEPCristyan Lisbôa estuda Engenharia Elétrica no Centro Universitário Uniftec, em Caxias do Sul e atualmente faz intercâmbio no Instituto Politécnico do Porto, em Porto, Portugal. Segundo Cristyan, sua expectativa inicial era relacionada à qualidade de ensino e rigorosidade nos exames que iria enfrentar com a unidade curricular de Teoria de Sistemas: “A opção por esta disciplina é mais um passo rumo a carreira acadêmica na área de sistemas de controle. Nela são explorados temas como: modelagem matemática, análise temporal e simulação de sistemas dinâmicos; realimentação de sistemas e análise de estabilidade; análise em frequência e sintonia de controladores. Em razão disso, preparei-me antecipadamente e assim não enfrento maiores dificuldades”, analisa.

Em relação à língua, Cristyan afirma que não teve dificuldade, apesar de observar algumas variações significativas em comparação com o português brasileiro. Já em relação à cultura regional, optou por não pesquisar absolutamente nada antes da viagem, a fim de poder explorar tudo presencialmente. O que decidiu com antecedência foi fazer uma experiência com o próprio intercâmbio: “Decidi torná-lo um projeto e aplicar as técnicas de gerenciamento de projetos a ele. Essa, sem dúvida, foi uma das melhores providências que tomei. Dessa forma, tenho supervisão sob todos os aspectos que havia previsto na fase de planejamento, e agora estou monitorando e controlando meu projeto, a fim de assegurar que haja consonância com o planejado”.

Cristyan define a experiência que está vivenciando como um grande aprendizado de vida: “O que posso garantir se resume a uma frase de Aristóteles: “é fazendo que se aprende a fazer aquilo que se deve aprender a fazer”.

 

Ana Paula Boelter
Jornalista |Mtb 14263
Assessoria de Comunicação
Grupo UniFtec
54 3027 1300 R:599
Vestibular Agendado www.fazftec.com